Satya - Verdade

A verdade não é só o que se diz, mas é o que se faz em coerência com o que se sente. Satya não significa que você vai sair por aí a 3x4 falando a verdade para todos. E perceba bem que a sua verdade, pode não ser exatamente a verdade para o outro. Ser verdadeiro não é ser cruel. Ser verdadeiro não é ofender, magoar.

Em nossas vidas devemos procurar ser o mais verdadeiro possível. Se conseguirmos isso 100% do nosso tempo. Ótimo! Mas antes de sairmos por aí “jogando” a verdade na cara dos outros, devemos procurar ser verdadeiros conosco mesmo.

Seja verdadeiro com seus sentimentos: Não finja sentimentos, não finja que gosta, quando não gosta, não seja dissimulado, não seja falso. Entenda o que sente e talvez você não precise jogar isso na cara de ninguém, basta que você aceite essa verdade, ela é sua, você não precisa dizer para o outro: “não gosto de você!” Pra que? Pra magoar, para ele se sentir humilhado porque você, no seu templo de verdade, fala sempre a verdade? Aceite isso, e conviva com isso. O que você sente é seu. E se não vai falar para o outro, muito menos vai falar para um terceiro, quarto, ou quinto. Conviva com o outro aceitando que vocês são diferentes. Fluidos / Energias em vibrações diferentes, isso é uma lei natural. Não sofra por isso, se for o caso, ou tente, de forma maldosa, tirar o outro do seu caminho por isso.

Seja verdadeiro com o seu trabalho: O trabalho é a grande prova de nossas vidas, pelo menos para maioria de nós. Seja um trabalho voluntário, seja nosso trabalho remunerado; gostemos, ou não dele. Se estamos ali naquela posição. ESTEJAMOS de verdade. Não finja que trabalha, pois seu chefe vai acabar fingindo que acredita, mas um dia a verdade vem a tona. Se não está com vontade de trabalhar, assuma as responsabilidades por isso. Seria ótimo podermos dizer para nossos superiores: “ó, hoje não estou a fim de trabalhar não, vou embora ta?!”. Mas sejamos realista, na maioria das vezes não dá! Se decidiu ficar ali na sua mesa dando aquela enroladinha? Beleza, mas assuma a responsabilidade pelo seus atos (pelo que diz e pelo que faz). E talvez, se você realmente for uma pessoa de verdade, seu chefe até te libere de vez enquando...

Diga sempre a verdade. Não invente historinhas, não seja negligente com o que você diz. Não declare como verdade algo que você não tem certeza. Coloque força em suas palavras falando sempre o que é verdade. Aquele que fala a verdade transforma o que diz em profecia, pois as suas palavras já estão carregadas com essa tão poderosa energia que é a verdade.
Isso não sou eu quem digo, é Yogananda.




Não trapaceie. Não tente “dar a volta” , ou tirar vantagem das coisas criando situações que não são verdadeiras.

Se você faz uma carteirinha de estudante falsa, porque de fato você não é mais estudante, além de cometer um crime, você não está sendo verdadeiro. Essa trapaça que você faz com situações do seu cotidiano, a vida vai fazer com você também. Tudo que você faz, toda energia que você gera para o mundo, está aí com você também; e é nessa sintonia que você está vibrando, é essa sintonia que você está atraindo para sua vida.

Então antes de apontar o dedo para o outro e falar as “verdades” que ele tem que ouvi, aponte o dedo para você mesmo e descubra as suas verdades.
Namastê!

3 comentários:

Família Pennella disse...

Grande Laísa!
Só hoje olhei esse site maravilho, olha que mole meu!

Hoje no dia da mentira, li seu texto sobre verdade! Que paradoxo. não?!

Fiquemos assim, refletindo sobre nossas verdades pq só assim nos conheceremos de verdade!

Um beijo
Itala

Lai disse...

Valeu Ìtala!! Que bom que gostou!
Volte seeempre e obrigada pelo carinho!

Fragmentadora de Papel disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Todos
os esquerdos reservados. Se copiar alguma coisa, me avisa tá!? Deixe uma mensagem!
Namastê!